...

21/02/2012

7º PARTE: UM DOS MAIS VERGONHOSOS EPISÓDIOS NA HISTÓRIA JORNALISTICA


Ao ouvir isto a mídia corria para fora para reportar esta aparente surpreendente notícia e deixava de ouvir uma das partes mais significantes de testemunho do julgamento inteiro. Sob interrogatório por Thomas Mesereau, Fournier disse que durante as ultimas semanas que a família Arvizo passou em Neverland- o período durante o qual o abuso supostamente tenha acontecido- os quartos de hóspedes dos dois meninos estava constantemente desarrumado, fazendo-a crer que eles tenham estado dormindo em seus quartos o tempo todo- e não no quarto do Michael. Ela também testemunhou que Star Arvizo certa vez sacou uma faca contra ela na cozinha, e ela explicou que não sentiu que aquilo era uma brincadeira e pensou que ele estava “tentando mostrar algum tipo de autoridade”. Em um golpe devastador contra a crescente e hilariante conspiração da acusação, Fournier, achou engraçada a idéia de que alguém pudesse ser feito prisioneiro em Neverland, e disse aos jurados que não havia cerca alta em volta da propriedade e que a família poderia ter facilmente saído a qualquer tempo . Quando a mãe de Gavin e Star, Janet Arvizo tomou o assento das testemunhas, Tom Sneddon estava com as mãos na cabeça. Ela alegou que o videotape feito com ela e os filhos elogiando Jackson tinha sido redigido palavra por palavra por um homem alemão que mal falava inglês. Em segmentos do vídeo ela tinha sido vista cantando elogios para Jackson e logo depois parecendo constrangida e perguntando se ela estava sendo gravada. Ela disse que isso tinha sido redigido também. Ela alegou que tinha sido mantida refém em Neverland, entretanto registros e recibos mostravam que ela tinha deixado o rancho e voltado em três ocasiões durante o período de “cativeiro”. Tornou-se aparente que ela estava sob investigação naquele momento por fraude na Previdência Social e também tinha falsamente obtido dinheiro às custas da doença do seu filho, obtendo benefícios para pagar pelo tratamento do câncer, estando ele já coberto pelo seguro. Mesmo os mais ardentes defensores da acusação tinha que admitir que Janet Arvizo era uma testemunha desastrosa para o Estado. Exceto Diane Dimond, que em Março de 2005 parece ter usado a fraude da Previdência cometida por Janet Arvizo (ela foi condenada no inicio do julgamento de Jackson) como prova indireta da culpa de Jackson,sinalizando um artigo do New York Post com “gob smacking line”: Pedófilos não visam meninos que tem pais como Ozzie e Harriet. Vendo seu caso se deteriorando perante os olhos a acusação recorreu ao juiz para admitir evidência de “má conduta anterior”. A permissão foi concedida. A acusação disse ao juri que eles iriam ouvir evidencia de 5 vítimas anteriores. Mas esses cinco casos anteriores acabaram sendo até mais ridículos do que as alegações dos Arvizos.
continuação...

Nenhum comentário:

Postar um comentário